Alexandre Abade, de 37 anos, é um exemplo de superação e determinação. Portador de uma doença chamada osteogênese imperfeita, mais conhecida como “ossos de vidro”, ele não se deixa abater e mostra que suas limitações físicas não servem como desculpa para deixar de investir em seus sonhos. Impedido de ir à escola quando criança, devido às múltiplas fraturas que sofria ao menor movimento que fazia, conseguiu se alfabetizar aos 17 anos, época em que teve a última das mais de 300 fraturas que sofreu durante a vida. Como o estudo sempre o motivou, ele concluiu dois cursos superiores, uma pós-graduação e fez diversos cursos profissionalizantes, a maioria no Senac. E foi na instituição que lançou em setembro seu segundo livro: Amigos que fazem a diferença – Inclusão em ação. Como não gosta de ficar parado, deu início a um novo projeto, o canal no Youtube chamado “Os imperfeitos – Inclusão Social” e começou um novo curso em setembro, de Técnico em Logística.

“Escolhi o Senac pela referência, pela oportunidade de desenvolver melhor meu conhecimento e por ter mais chances de emprego e crescimento, tanto pessoal quanto profissional. O Senac é uma referência nacional”, afirma Alexandre que fez em 2015, na unidade de Sobradinho, os cursos Assistente Administrativo, e Gestão de Pequenos Negócios, época em que teve a ideia de escrever o livro juntamente com uma colega de turma. Neste ano ele concluiu o curso Assistente de Pessoal e iniciou o curso técnico. Sua história com o Senac começou em 2006, quando concluiu o ensino médio e logo em seguida fez os cursos Excel Avançado, Informática para concursos, Linux, Lógica de Programação com Orientação ao Objeto e Tratamento Digital de Imagens. “Faço cursos pela oportunidade de crescimento profissional, para ampliar os conhecimentos e ter mais oportunidades de conseguir emprego na área que eu gosto, que é a administrativa. Eu escolhi continuar com os estudos porque é uma motivação pessoal para desenvolver e romper minhas  próprias limitações físicas”, diz ele.

Morador de Sobradinho, Alexandre atua com palestras motivacionais e luta pela inclusão de pessoas com deficiência física no mercado de trabalho e na sociedade. “Comecei a palestrar no primeiro curso da faculdade. Fui chamado para contar minha história para motivar outros alunos e acadêmicos. Comecei e não quero mais parar. Foi um incentivo para mim”, explica. Para alcançar mais pessoas e conscientizar sobre a inclusão, ele lançou, com mais três colegas, o canal no YouTube. “Hoje me considero um vencedor, mas vejo que ainda tenho muito o que fazer. Quero levar minhas palestras para empresas, escolas, mostrar a todos minha história para incentivar as pessoas. Onde eu vou, sinto que muda. As pessoas passam a pensar que se eu, com tantas limitações consigo fazer cursos, escrever livros, ministrar palestras, elas também podem. As pessoas passam a questionar o que estão fazendo de suas vidas e melhoram suas atitudes”, conclui.